A nossa Associação está ligada à rede «CUIDAR DA CASA COMUM» desde a sua fundação, fazendo parte da Rede de instituições que a compõem, pois os seus objectivos identificam-se integralmente com o pensamento de Teilhard de Chardin, na sua visão grandiosa do Universo centrado na Pessoa de Cristo, pólo harmonizador de toda a Criação.

Segundo ele, ao Homem, ponta de flecha da evolução em convergência para o ponto Ómega (Cristo), compete trabalhar e zelar para que, aos acréscimos de complexidade, correspondam sucessivos níveis de elevação, não só material, mas sobretudo espiritual.

Conforme pode ser acompanhado no site www.casacomum.pt , o movimento tem por objectivo dinamizar a tomada de consciência colectiva acerca da relevância e urgência da aplicação no quotidiano dos ensinamentos da Encíclica «Laudato Si», do Papa Francisco, com vista a uma conversão ecológica integral.  Através deste site, pode-se acompanhar o desenrolar das actividades que estão a ser promovidas, das quais se destaca o projecto de criação de Focos de Conversão Ecológica, como forma de dinamizar as mentalidades para uma mudança de atitudes. Através da lista de entidades associadas ao movimento, ali apresentada, poderá cada um, consoante a sua proximidade a uma ou mais destas entidades, procurar exercer a sua participação nas actividades, em cada momento e local.

Sempre que abrirem a torneira da água, lembrem-se deste vídeo!

 

Enzo Bianchi, Laudato Si

ECONOMIA DO BEM-ESTAR

Este relatório resulta de um processo colaborativo dinamizado pela ZERO – Associação Sistema Terrestre Sustentável em outubro e novembro de 2021, com o apoio de Rita Lopes – perita em processos colaborativos. Os quatro workshops foram realizados online e contaram com a participação de 31 entidades de diferentes quadrantes da sociedade portuguesa. As conclusões aqui apresentadas decorrem das discussões e dos contributos recolhidos, sobre os quais a ZERO refletiu e elaborou um relatório final. Neste contexto, estes resultados não representam nem expressam as posições oficiais das entidades participantes, mas antes a perspetiva da ZERO a partir de uma base partilhada. [ler mais]

 

NO 3º ANIVERSÁRIO DE “CUIDAR DA CASA COMUM”