Efemérides

110 anos da chegada de Teilhard de Chardin a Hastings

“Em Setembro de 1908, Teilhard chega a Hastings, na costa sudoeste de Inglaterra, para iniciar a sua estadia de quatro anos em Ore Place, a fim de receber a formação jesuíta em teologia – um período designado por teologado.”

É assim que abre o artigo “Teilhard at Ore Place, Hastings”, do Dr. David Grummet, professor de teologia na Universidade de Exeter, Reino Unido, que foi publicado na íntegra e em língua inglesa na revista “Teilhard Hoje na Europa”, edição portuguesa de Abril 2008, pela AAPTCP, membro do CET – Centro Europeu Teilhard de Chardin.

Nesse mesmo texto, é-nos explicado porque é que Teilhard de Chardin, sendo francês, teve, como muitos outros seminaristas jesuítas, de fazer parte da sua formação fora de França. Tudo remonta a 1880, um ano antes do nascimento de Teilhard, quando o governo francês da altura, pelo braço do seu ministro da Educação Jules Ferry, decretou a laicização do ensino e proibiu a Companhia de Jesus de o exercer no país. Isto levou a Companhia a mudar os seus vários centros de formação para países vizinhos, especialmente para Inglaterra, dada a proximidade territorial. Quando Teilhard entra em 1899 na Companhia para o noviciado, fá-lo, porém, em Aix-en-Provence. Isto ficou a dever-se a um certo abrandamento do rigor na aplicação daquela legislação, mas, logo em 1901, verificou-se um endurecimento e, em 1904, o primeiro-ministro Émile Combes decide aplicar as novas leis à letra e decreta a confiscação dos bens das ordens religiosas. Os Jesuítas, entretanto, prevendo estes extremos, tinham já regressado às suas anteriores instalações em Inglaterra.

Teilhard, que tinha ingressado em 1900 em Laval para terminar o noviciado e fazer o juvenato, ali pronunciou os seus primeiros votos em 1901, mas já em Outubro desse mesmo ano teve de se transferir para a ilha de Jersey, a fim de acabar o juvenato.  Nesta mesma ilha faz, de 1902 a 1905, os três anos de filosofia. De 1905 a 1908, Teilhard ensina Físico-Químicas num colégio jesuíta do Cairo, como parte da sua formação na Companhia, e é assim que, em Setembro de 1908, chega a Hastings para realizar o teologado, ali permanecendo, portanto, até 1912 (cf. Claude Cuénot, “T. Chardin”, Écrivains de Toujours, Seuil, 1963, pág. 9). Entretanto, a 26 de Março de 1911, é ordenado presbítero, acto a que assistiram os seus pais e irmãos, vindos expressamente de França.

David Grummet aponta-nos o ambiente especial que se vivia, então, em Ore Place, mestres e discípulos convivendo em clima de intensa actividade intelectual dum elevadíssimo nível. Entre os colegas de Teilhard dessa época contam-se os padres Pierre Rousselot, Pierre Charles, Auguste Valensin. O futuro cardeal Henry de Lubac, mais tarde grande amigo de Teilhard e ele próprio aluno em Ore Place na década seguinte, deixou-nos dessa vivência este saboroso testemunho: “Ali estávamos realmente como que fora do mundo, por momentos longe de quaisquer responsabilidades do apostolado; sós em grupo, como se estivéssemos num grande barco navegando sem rádio no meio do oceano. Mas que vida intensa dentro daquele barco e que viagem maravilhosa!” Grummet recorda-nos que foi durante a sua estadia em Ore Place que Teilhard começou a ganhar uma noção espiritual da evolução, “uma Corrente profunda, ontológica, total, abraçando todo o Universo em que me movia”, segundo as palavras do próprio Teilhard, anos depois. Em “Le Cœur de la Matière”, sua autobiografia escrita em 1950, viria ele a escrever, recordando os seus tempos de Hastings: “… l’extraordinaire densité et intensité prises pour moi vers cette époque, par les paysages d’Angleterre – au coucher du soleil surtout – quand les forêts du Sussex se chargeaient, eût-on dit, de toute la vie «fossile» que je poursuivais alors, de falaises en carrières, dans les argiles wealdiennes.”

Também o sentido cristológico do pensamento religioso de Teilhard despontou no ambiente de Hastings, onde os estudos bíblicos franceses desenvolveram novas formas de abordagem da cristologia pauliniana. Quase no final do seu artigo, D. Grummet cita René d’Ouince, amigo e superior de Teilhard, quando nos fala dele: “Por mais decisivo que o choque da Grande Guerra possa ter sido para o pensamento de Teilhard, houve uma intensa actividade intelectual que o precedeu. Quero mesmo crer que a maioria das ideias teológicas de Teilhard ganhou corpo durante o escolasticado [em Ore Place], naquelas conversas entre iguais, onde os jovens intelectuais comunicavam livremente o resultado das suas reflexões pessoais”.

Muito justamente, a British Teilhard Society assinalou este centenário com um evento em Abril passado, realizando na vizinha cidade de Hastings, Aylesford, Kent, uma série de conferências, em que o Dr. David Grummet foi também orador, com visita ao local onde existiu a casa de Ore Place, presentemente já desaparecida, e missa celebrada em Hastings, na igreja de Santa Maria Stella Maris onde Teilhard foi ordenado presbítero.